Nossa Senhora Representada Em Cada País Da América Latina…

Nossa Senhora Representada Em Cada País Da América Latina…

Invocações à Nossa Senhora na América Latina:

 

 

BRASIL – Nossa Senhora Aparecida

 

Em 1717, na cidade de Guaratinguetá, estado de São Paulo, Brasil, após várias horas pescando sem resultados, três pescadores retiraram do rio Paraíba o corpo de uma imagem sem cabeça. Em seguida, lançada a rede novamente, encontraram a cabeça da imagem. Surpresos, lançaram a rede pela terceira vez e a pescaria foi tanta que puderam encher suas canoas. Esses três pescadores, Domingos Garcia, João Alves e Felipe Pedroso, limparam a imagem apanhada no rio e notaram que se tratava da imagem de Nossa Senhora da Conceição, de cor escura. A imagem foi levada, a princípio, ao oratório de sua humilde casa, e diante dela realizavam suas orações. E desde aquele tempo Nossa Senhora começou a fazer milagres ali devido à crescente devoção do povo. Em 1745 foi construída uma capela no morro dos coqueiros, que margeia o Paraíba e uma missa foi celebrada. A imagem passou a ser chamada de Aparecida e deu origem à cidade de mesmo nome.Em 1888 a antiga capela foi substituída por outra maior. Em 8 de setembro de 1904 foi realizada a solene coroação da imagem de Nossa Senhora Aparecida, e em 1908, o santuário foi elevado à dignidade de Basílica pelo Papa.Em 1930, o Papa Pio XI, proclamou Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Em 1967, no aniversário de 250 anos de devoção, o Papa Paulo VI ofereceu a Rosa de Ouro ao Santuário Nacional inteiramente dedicado à Nossa Senhora da Conceição Aparecida.A partir de 1950 já se pensava na construção de um novo templo mariano devido ao crescente número de romarias. O majestoso templo foi consagrado pelo Papa, após mais de vinte e cinco anos de construção, no dia 4 de julho de 1980, na primeira visita de João Paulo II ao Brasil.

 

 

ARGENTINA – Nossa Senhora da Luján

 

Comemora-se no dia 8 de maio a festa de Nossa Senhora de Luján. Seu santuário fica a cerca de 60 km a oeste de Buenos Aires, Argentina. Sua história conta que um grande fazendeiro, Antonio Farias de Sá, habitante de Sumampa (hoje Santiago del Estero), com o intuito de construir uma capela em sua fazenda em Buenos Aires, encomendou de um amigo do Brasil, uma imagem da Imaculada Conceição. A imagem chegou de navio e foi transportada num carro de bois, junto com outras mercadorias.Quando chegaram às margens do rio Luján, os mercadores resolveram descansar e fizeram uma parada. No entanto, quando resolveram seguir viagem, os bois empacaram. Os mercadores começaram a descer as mercadorias do carro de boi para que os bois pudessem puxá-lo. Somente quando o caixote que guardava a imagem da santa foi retirado do carro, os bois começaram a andar. Todos entenderam que aquele lugar, às margens do rio Luján, era o local onde a Virgem queria ficar. Foi, então, por isso, realizada uma procissão e mais tarde construída uma capela onde hoje se encontra o santuário de Luján.Esse local ficou conhecido como “detenção da carreta” ou “milagre de Luján”. A partir de então, a devoção a Nossa Senhora de Luján espalhou-se por toda a América Latina.

 

 

BOLÍVIA – Nossa Senhora de Copacabana

 

Nossa Senhora de Copacabana foi proclamada padroeira da Bolívia no dia 2 de agosto de 1925.Naquele tempo, o recém-convertido ao cristianismo, dom Francisco Tito Yupanqui, descendente da família real, , estabeleceu voto de trazer aos seus irmãos de Copacabana uma imagem da mãe de Deus, pois assim poderia libertá-los da falta de conhecimento das coisas de Deus. Certo dia, em seu quarto, ele teve uma visão: Uma senhora coberta com um longo manto carregava no braço direito um menino e na mão esquerda segurava uma vela acesa.Dom Francisco tentou reproduzir na arte a imagem de sua visão, porém como não tinha talento para tanto, pediu a Virgem que o ajudasse. Depois de várias tentativas, conseguiu esculpir uma imagem, no entanto sem o brilho e a mesma beleza da Virgem de sua visão. Quando já estava pensando em desistir, recebeu uma inspiração divina, que lhe possibilitou retocar a imagem e deixá-la belíssima. A lenda conta que dois anjos vieram do céu para dourá-la e envolvê-la num grande resplendor.A imagem original de Nossa Senhora de Copacabana tem um metro de altura e pode ser encontrada no altar principal do santuário da cidade de Copacabana, às margens do lago Titicaca (o lago mais alto do mundo), na Bolívia.

 

 

CHILE – Nossa Senhora do Carmo

 

No dia 16 de junho de 1251, a Virgem do Carmo apareceu para São Simão Stock e entregou-lhe o escapulário contendo muitas promessas. A partir dessa data as monjas carmelitas expandiram-se pelo mundo todo, especialmente no Chile.A primeira imagem de Nossa Senhora do Carmo no Chile foi trazida pelo colonizador espanhol D.Pedro de Valdívia. Nossa Senhora do Carmo é cultuada no Chile desde o século XVI, época em que foi construída a Igreja “La Tirana”, onde hoje são realizados os bailes religiosos. Em 1643, na Igreja dos Agostinianos, foi fundada a primeira confraria do Carmo.Proclamada Patrona e Generala do exército andino durante as batalhas pela independência, os corpos dos soldados mortos durante as lutas estão em seu santuário nacional localizado na cidade de Maipu.Na bandeira chilena há uma estrela branca no céu azul para representar a Virgem do Carmo. A cruz de Maipu é um precioso símbolo da religiosidade e da luta do povo chileno, apresentando nas cores azul e vermelho, uma estrela branca de Maria.Nossa Senhora do Carmo é carinhosamente chamada pelo povo chileno de Carmelita.

 

 

COLÔMBIA – Nossa Senhora de Chiquinquirá

 

Chiquinquirá é uma pequena cidade situada às margens do rio Suárez, na Colômbia. O famoso quadro de Nossa Senhora de Chiquinquirá foi pintado pelo artista Alonso de Narváez numa tela fabricada pelos índios. Encomendado por Antonio de Santana, um homem rico, dono de um grande lote de terras, o quadro permaneceu por 12 anos exposto à veneração popular e foi se deteriorando com o tempo, até ser retirado do altar.O quadro foi levado para um depósito, até que Maria Ramos, uma devota da Virgem, levou o quadro para um altar na sua casa, onde reunia amigos e parentes para orar.Foi no dia 26 de dezembro de 1586 que ocorreu este milagre. A tela se iluminou, as cores do quadro se fortaleceram e a imagem tornou-se nítida outra vez. Neste local foi construída uma capela que mais tarde, em 1608, tornou-se uma igreja e em 1812 se transformou na atual basílica.Em 1816 a Virgem foi proclamada capitã do Exército e sua imagem foi levada aos campos de batalha pela independência do País. Na vitória ela recebeu a espada gloriosa do “libertador” Simon Bolívar.Atualmente esta Nossa Senhora é celebrada nos dias 9 de julho e 29 de dezembro.

 

 

COSTA RICA – Nossa Senhora dos Anjos

 

Por volta de 1635, em Cartago, Juana, uma jovem negra, encontrou a imagem da Santíssima Virgem enquanto cortava lenha. A imagem estava sobre uma pedra e a Virgem trazia nos braços o Menino Jesus.A jovem levou a imagem para casa e a guardou num cofre. No dia seguinte, voltou ao bosque para apanhar mais lenha e encontrou novamente uma imagem da Virgem, idêntica a outra, no mesmo local. Outra vez ela apanhou a imagem e a levou para casa, porém quando foi guardá-la no cofre, verificou que este estava vazio. Tratava-se da mesma imagem do dia anterior. Por várias vezes esse episódio se repetiu, até que a jovem Juana decidiu procurar o pároco. Este por sua vez, desconfiado da história da jovem, guardou a imagem na igreja. No outro dia, a imagem havia desaparecido e foi encontrada novamente sobre a pedra no bosque. Decidiram então, construir naquele local, uma capela. A Virgem passou a ser conhecida como Virgem dos Anjos, pois sua imagem foi encontrada na região de Barrio de la Puebla de Los Angeles.E Nossa Senhora dos Anjos foi proclamada Padroeira da Costa Rica no dia 2 de agosto de 1821.

 

 

CUBA – Nossa Senhora da Caridade do Cobre

 

Nossa Senhora da Caridade do Cobre é a padroeira de Cuba. Sua coroação como padroeira aconteceu no dia 20 de janeiro de 1936 em Santiago de Cuba.Existem duas versões para a história do aparecimento de Nossa Senhora da Caridade do Cobre, e ambas referem-se ao encontro nas águas do mar das Caraíbas de uma imagem da santa negra com lindas vestes douradas, tendo o Menino no colo.A primeira versão atribui o encontro da imagem de Nossa Senhora a dois irmãos índios, Juan Rodrigo e Juan Diego Hoyos e a um negro, Juan Moreno. ´´ Naquela manhã o mar estava tranqüilo e, com os irmãos Rodrigo e Diego, decidimos partir antes do nascer do sol, para recolher sal bem distante do golfo. No meio do mar vimos qualquer coisa que flutuava. Aproximamo-nos. Aquilo parecia um feixinho de ramos secos. Logo um dos irmãos exclamou que se tratava de uma estátua da Virgem Santa que trazia nos braços o Menino Jesus. Em seu pedestal de madeira estava gravado: ´´Eu sou a Virgem da Caridade“. A imagem flutuava sobre a água, no entanto o seu manto, que era de tecido, não estava nem um pouco molhado. Cheios de alegria e felizes, recolhemos apenas um terço do sal de que precisávamos e, com a estátua, retornamos à margem“, relata Moreno.A segunda versão atribui o achado da imagem a um comandante do exército espanhol, Alonso Ojeda, que estava no mar das Caraíbas e foi surpreendido por uma terrível tormenta , ele invocou ajuda de Nossa Senhora prometendo-lhe construir um santuário, se ela lhe salvasse.A Virgem da Caridade do Cobre é venerada em muitos países da América Central e na Espanha. Na cidade de Miami, existe um santuário à Nossa Senhora da Caridade do Cobre. Sua Festa é no dia 8 de setembro.

 

 

ANTILHAS – Nossa Senhora de Salete

 

Nossa Senhora de Salete apareceu na pequenina vila de Salete, nos Alpes franceses, a dois jovens pastores, Melânia e Maximino, no dia 19 de Setembro de 1846. Ela surgiu em uma bola de fogo ´´que mais parecia um sol caído na terra“. Aos dois pastores mirins, deslumbrados e paralisados, a Virgem com fisionomia triste, deu mensagens para que eles transmitissem aos outros. Recomendou muita oração, mais espiritualidade, submissão à vontade divina, houve mesmo ameaçadoras profecias aos que não se regenerassem. Ao final, a virgem recomendou aos dois pastores que levassem a sua mensagem a todos, e foi elevando-se ´´ em um raio de luz que chegava até o céu“.Esse fenômeno foi minuciosamente estudado pela igreja , que finalmente o abonou, dando a aparição como ´´autentica, indubitável e certa“, pelo bispo de Grenoble, D. Felisberto de Bruillard.A devoção à Nossa Senhora de Salete foi levada à Dominica, uma pequena ilha das Pequenas Antilhas, entre Martinica e Guadalupe que na época estava sob domínio francês.

 

 

EL SALVADOR – Nossa Senhora da Paz

 

Corria o ano de 1682. Em El Salvador grassava uma guerra entre irmãos. O povo revoltado, as tropas do governo violentas, a morte e o ódio imperavam. Foi então que alguns mercadores encontraram em uma praia deserta uma caixa de madeira fechada. Era muito pesada, tentaram abri-la e não conseguiram. Pensaram que era um tesouro de algum navio que havia sossobrado e decidiram entregar às autoridades. Levaram-na, pois, para a vila de São Miguel, no lombo de um burro. Chegando lá, em frente à igreja paroquial o burro empacou, e resolveram abrir ali mesmo. Para surpresa geral, o esperado tesouro era uma linda imagem em tamanho natural da virgem vestida de rainha tendo Jesus nos braços. A notícia correu por todo o país, chegou ao campo de batalha e milagre! Soldados e civis se uniram, em uma alegria comum pelo miraculoso achado.E a paz voltou a reinar em todo o país. A virgem recebeu o nome de Nossa Senhora da Paz e ali mesmo na igreja paroquial a santa recebeu o seu altar. O povo de El Salvador passou a receber graças de N.S. da Paz. Ela os tem protegido de grandes catástrofes como guerras, vulcões, tremores de terra e furacões. Nossa Senhora da Paz é a padroeira de El Salvador. Sua festa oficial é no dia 9 de julho.

 

 

EQUADOR – Nossa Senhora da Apresentação de El Quinche

 

Nossa Senhorada Apresentação de El Quinche apareceu diversas vezes para os índios de Oiacachi, e prometeu-lhes proteção contra as feras, e contra as tempestades e vulcões se eles construíssem para ela um altar. Então, no ano de 1591, um artista eapanhol, dom Diego de Robles lhes deu uma escultura da Virgem feita por ele, em troca de madeira de fino cedro da região. Os índios se alegraram por poderem fazer o que a Virgem lhes pedira, o seu altar. E colocaram o altar da Santa em uma gruta onde diariamente se reuniam para rezar e entoar cânticos de louvor. Os peregrinos começaram a afluir em número crescente a Oyacachi, até que não havia mais lugar para tanta gente no povoado. Em 1604, o bispo fez trasladar a imagem para uma aldeia maior, El Quinche, que se transformou em um grande centro de peregrinação.

 

 

GUATEMALA – Nossa Senhora do Rosário

 

A devoção à Nossa Senhora do Rosário é muito divulgada na Guatemala, protetora desse país sofrido com abusos de governos, violências, revoluções e erupções de vulcões.A divulgação do rosário no país, deve-se à Ordem dos dominicanos, que fundaram as Casas de Rosário, para que os índios aprendessem a rezar. O fundador da Ordem, São Domingos de Gusmão, recebeu da própria Virgem, o ensinamento do uso do Santo Rosário, para haver melhor eficácia em suas preces. A partir de 1995, surge novamente a esperança para o povo da Guatemala, graças à sua fé e ao poder do rosário, a paz voltou a reinar naquele país.

 

 

GUIANA E SURINAME – Nossa Senhora de Fátima

 

Venerada com fervor no mundo inteiro, Nossa senhora de Fátima é oficialmente a padroeira de dois pequenos países da América do Sul: Guiana e Suriname.A história emocionante de sua aparição aos três pastores na aldeia de Leiria, região de Fátima, Portugal, espalhou muito rapidamente a sua devoção pelo mundo. Primeiro, houve três aparições de um anjo que se identificou como Anjo da Paz, e preparou as crianças para as grandes revelações. No dia 13 de maio de 1917, em um dia claro, as três crianças, Lúcia, Jacinto e Francisca, estavam pastoreando nas colinas, quando sobre uma pequena azinheira, surge um clarão após um relâmpago, e a figura ´´ de uma Senhora vestida de branco, mais brilhante que o sol, reluzindo mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios de sol mais ardente“. Ela dirige-se às crianças e lhes pede que rezem o terço todos os dias pela paz do mundo, que peçam pela conversão dos pecadores, e pelo fim da guerra. . As aparições continuam, e sempre a Virgem repete que se ore pela paz e pela conversão dos pecadores e que se reze o terço diariamente.Com o correr dos dias o povo acorreu ao local e testemunhou a aparição de uma nuvem branca sobre a azinheira, enquanto as crianças rezavam o terço, Lúcia conversava em voz alta. A Virgem voltou muitas vezes, falou muito, e revelou terríveis acontecimentos, que poderiam acontecer se o povo não se convertesse e rezasse o terço. Estas profecias realmente se concretizaram: a desintegração do comunismo , as aberrações morais de nossa época. A última profecia, cercada de mistério por tantos anos, foi recentemente revelada pelo Papa João Paulo Segundo, que diz respeito ao atentado que o mesmo sofrera em 1980.Hoje o nome Fátima é sinônimo de Nossa Senhora em muitos lugares. Talvez o local mais acorrido de peregrinações na face da terra, depois da Terra Santa. Em Fátima os milagres acontecem. E sempre com a mesma intensidade do tempo de Lúcia, Jacinto e Francisco.

 

 

HAITI – Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

 

Esta Virgem, ao contrário da maioria, não é conhecida em estátua, ela é cultuada em uma pintura de meio corpo, em estilo bizantino. A história dessa pintura é envolta em lenda e suposições, pois a pintura original é da ilha de Creta, e foi pintada por um exímio artista. Porém, durante a ocupação muçulmana, que durou alguns séculos, todos os documentos cristãos foram destruídos. O quadro foi parar nas mãos de um rico comerciante que intencionava vende-lo na Europa. Na travessia, a embarcação foi atingida por uma tempestade, os marinheiros pediram muito à Virgem e a tempestade cessou. Na Europa o comerciante não vendeu o quadro. Após sua morte, a Virgem apareceu à sua filha e pediu-lhe que levasse o quadro à uma igreja e lhe desse o nome de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.No séc. XV, o quadro foi levado para a capela de São Mateus em Roma onde permaneceu por mais de três séculos. Houve um incêndio na capela e o quadro foi encontrado entre os escombros.No século XIX o papa Pio IX entregou a pintura original aos padres Redentoristas e pediu-lhes que divulgassem a devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Com a chegada dos Redentoristas ao Haiti, iniciou-s a devoção nesse país, o povo tem um carinho especial à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

 

 

HONDURAS – Nossa Senhora de Suyapa

 

Nossa Senhora de Suyapa é padroeira de Honduras.Ela foi encontrada por um lavrador, Alejandro Colindes, que juntamente com seu companheiro, Lorenzo Martinez, trabalhava diariamente na roça, e a noite voltava para sua casa em Suyapa. No dia 2 de fevereiro de 1747, os lavradores saíram mais tarde do trabalho e resolveram dormir no meio do caminho. Deitaram-se na relva e adormeceram. Mas Alejandro acordou-se com algo machucando-lhe as costas. Passou a mão e atirou longe o que pensou ser uma pedra. Adormeceu novamente e acordou com a mesma sensação anterior, algo embaixo das costas o incomodava. Pegou o objeto que pensou ser uma pedra ou raiz e guardou-o na mochila, para não ser incomodado novamente. Quando chegou em casa, a descoberta, o objeto era uma imagem da Imaculada Conceição esculpida em madeira!O primeiro milagre aconteceu logo, com um capitão dos granadeiros. Ele sofria de sérios problemas renais, e nada resolvia seu grande sofrimento. Alguém lhe falou da imagem. O capitão pediu para vê-la, e a mãe de Alessandro mandou levá-la a casa do capitão. Este recebeu a imagem de joelhos, pedindo-lhe que o curasse e se a Virgem o atendesse, ele construiria uma capela para a sua devoção. Três dias depois o capitão estava curado. Ele construiu, como prometeu, a capela para a Virgem no Vale de Suyapa. Após numerosas transformações é hoje o Santuário de Nossa Senhora de Suyapa, cuja festa é celebrada no dia 2 de fevereiro.

 

 

MÉXICO – Nossa Senhora de Guadalupe

 

Nossa Senhora de Guadalupe é mãe e padroeira do México e de toda a América Latina.Sua devoção teve inicio no México, com sua aparição ao índio batizado Juan Diego. Foi no início do séc. XVI que ela apareceu em uma manhã quando Juan Diego ia assistir à missa. Ele passava pela colina de Tepeyac quando ouviu uma suave melodia. Olhou e viu sobre uma nuvem branca uma linda Senhora resplandecente de luz, envolta em um arco-íris. Ela chamou-o pelo nome, disse-lhe que era a verdadeira mãe de Deus, e encarregou-o de pedir ao bispo, Dom Juan de Zumárraga que construísse uma igreja para ela naquela colina. O índio após muita dificuldade conseguiu falar com o bispo, que naturalmente não acreditou na sua história. A Virgem apareceu novamente a Juan Diego e prometeu-lhe a cura de seu tio doente. A Virgem continuou insistindo com Juan Diego para que retornasse ao bispo, ele argumentava desanimado que o bispo não iria crer na sua história. A Virgem então o instruiu para que colhesse flores no bosque e as levasse ao bispo. Diego obedeceu. O bispo ficou estupefato quando abriu o pano que o índio lhe estendeu. Não podia entender como, em pleno inverno, o índio encontrou um ramalhete de flores frescas e perfumadas! E na manta bordada que o índio usou para embrulhar as flores estava a figura da Virgem de Guadalupe: tez morena, olhos claros, e vestida como as mulheres da Palestina! Dom Zumárraga, emocionado, acreditou na história do índio e seguiu as instruções do índio, providenciando a construção do templo em honra da mãe de Deus.A pintura da Virgem na manta do índio está entronizada no maior santuário mariano do mundo, ali na colina de Tepeyac, na Cidade do México. A devoção à Nossa Senhora de Guadalupe estendeu-se por toda a América do Sul, ela é, não só a padroeira do México, mas também da América Latina.

 

 

NICARÁGUA – Nossa Senhora la Puríssima

 

Na Nicarágua, Nossa Senhora é invocada pelo nome de Virgem Puríssima. É um hábito que se originou nos tempos da colonização, no início do século XVI. O explorador espanhol, Gil Gonzáles de Ávila era muito devoto da Virgem Puríssima, como ele a chamava. E, nas expedições que fazia pelo interior do país, levava medalhinhas de Nossa Senhora e as distribuía aos índios, recomendando que orassem e fizessem seus pedidos à Virgem Puríssima, que seriam atendidos.E o nome Puríssima ficou na Nicarágua, para sempre ligado à Nossa Senhora e muita tradição misturada a um folclore popular e ingênuo relacionado à nossa Mãe Divina.Ainda hoje temos a tradição do Rosário em todos os sábados de outubro.É a celebração do ´´Atabale“, que é um tambor que percorre as ruas da cidade, acompanhando a imagem da Virgem La Puríssima conduzida em procissão, e os acompanhantes entoando cânticos e recitando o rosário. Essa tradição é muito valorizada na cidade de Granada.Hoje em dia são celebradas as ´´Puríssimas“, que são as novenas que antecedem a festa de Nossa Senhora da Conceição no dia 8 de dezembro anualmente. Dessa novena participam amigos, parentes e vizinhos que escolhem uma casa para homenagear Nossa Senhora com cânticos e orações. Na véspera da festa, 7 de dezembro, noite da ´´Gritaria“, os participantes gritam: ´´ De onde nos vem tanta alegria ? – ´´Da Conceição de Maria“. E à meia noite tocam os sinos das igrejas em todo o País, e saúda-se o amanhecer do dia 8 de dezembro, com fogos de artifício em homenagem à Nossa Senhora La Puríssima.

 

 

PANAMÁ – Nossa Senhora da Assunção

 

Nossa Senhora da Assunção é a Virgem titular do Panamá. Essa devoção foi levada pela Ordem dos franciscanos, que foram os evangelizadores do país.Diz a tradição, que quando Maria entregou sua alma a Deus, ela estava no meio dos apóstolos, mas faltava um, era Tomé que estava pregando em terras distantes. Quando ele chegou, a Virgem já havia sido sepultada no Vale de Cedron. Tomé não se conformou, e pediu para abrir o túmulo, pois ele queria beijar as mãos de Maria uma última vez. E assim fizeram os apóstolos, mas quando abriram, encontraram o túmulo vazio, apenas um suave perfume de flores e uma melodia celestial.Nossa Senhora da Assunção é muito homenageada no Panamá, onde seu principal santuário é a Catedral Metropolitana do País.

 

 

PARAGUAI – Nossa Senhora de Caacupê

 

Nossa Senhora de Caacupê – é a padroeira do Paraguai, sua história como outras das Américas está ligada a um índio. Conta-se que um índio guarani fugitivo escondeu-se atrás de uma árvore e invocou à Nossa Senhora para que seus perseguidores não o encontrassem. Se ela o atendesse ele iria esculpir uma imagem com o tronco daquela árvore. Ele não foi encontrado e cumpriu a promessa, esculpiu uma linda imagem da Virgem e ofereceu-a a igreja da aldeia. Fez ainda uma outra pequena para sua própria devoção. Tempos depois houve uma grande inundação no lago Ypacaraí que levou barracos , pertences e fez muitas vítimas.Os índios ficavam às margens esperando para recuperar seus pertences e corpos das vítimas. Eis que um deles, José, viu uma maleta de couro boiando próximo à margem. Ele pegou e abriu a maleta. Dentro estava uma imagem da Virgem de Caacupê envolta em panos. Todos sabiam a quem pertencia, mas seu dono, jamais apareceu. José ficou com a imagem e testemunhou muitos milagres e graças conseguidas através da santinha. Até que ela foi levada para a aldeia de Tobati e lhe construíram uma capela. As graças e milagres atraíram mais e mais peregrinos e a pequena aldeia se transformou na cidade de Caacupê.Hoje é um centro mariano e as romarias continuam crescendo. A principal festa de Nossa Senhora de Caacupê realiza-se no dia 8 de dezembro.

 

 

PERU – Nossa Senhora das Mercês

 

Nossa Senhora das Mercês é a padroeira do Peru. Sua devoção foi levada ao país no século XVI, pelos padres da Ordem dos Mercedários ou Ordem da Virgem Santíssima das Mercês para Redenção dos Escravos. Seu fundador foi São Pedro Nolasco que vivia em Barcelona. Ele usava toda a sua fortuna para libertar prisioneiros que estavam em mãos dos muçulmanos que dominavam grande parte da Espanha. Em um sonho Nossa Senhora aconselhou-o a fundar uma Ordem com o objetivo de libertar os cristãos cativos. Foi auxiliado por seu confessor, São Raimundo de Peñafort, o teólogo, que preparou as regras e pelo piedoso rei Jaime que lhe deu muitas facilidades, inclusive a primeira sede.A identificação de Nossa Senhora das Mercês,é feita pela sua vestimenta, uma túnica presa à cintura, e sobre ela um escapulário com as armas da Ordem. Algumas vezes ela se parece com Nossa Senhora do Carmo, segura uma insígnia com o brasão dos mercedários. Outras, ela abriga sob o manto dois escravos ajoelhados, sendo que um deles tem algemas e grilhões. A festa anual de Nossa Senhora das Mercês em Lima, a capital, é no dia 24 de setembro, e constitui um dos maiores eventos religiosos do Peru.

 

 

PORTO RICO – Nossa Senhora da Divina Providência

 

Esta Nossa Senhora era conhecida na Itália desde o século XII, mas somente no século XVIII começou a ser divulgada, quando seu título foi oficialmente reconhecido pela Santa Sé. Conta-se que na ampliação da Piazza Colonna, foi demolido um antigo convento. Em uma das paredes havia um afresco de uma lindíssima Virgem Maria.O afresco, para consternação geral e principalmente do arquiteto responsável, se quebrou em pedaços. O arquiteto inconformado, mandou pintar um quadro semelhante e ofereceu aos padres que o colocaram no altar. Quase um século mais tarde um sacerdote encontrou entre velhos documentos, um manuscrito sobre a construção do antigo mosteiro no qual o fundador contava que a Virgem Maria tinha sido sua única provedora na construção daquela obra. O sacerdote, então, mandou fazer uma cópia do quadro doado pelo arquiteto e acrescentou a inscrição: Mater Divinae Providenciae, e colocou-o no corredor de passagem entre o convento e a igreja. E assim surgiu mais um título para nossa Divina Mãe, Nossa Senhora da Divina Providencia, cuja devoção foi trazida para as Américas pelos irmãos barnabitas. Ela é, juntamente com Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, padroeira de Porto Rico.

 

 

REPÚBLICA DOMINICANA – Nossa Senhora de Altagrácia

 

A devoção à Nossa Senhora de Altagrácia é originária da República Dominicana e surgiu nos inícios do século XV. Conta-se que vivia em Higuey um rico senhor de terras que costumava vender suas mercadorias na cidade de Ozama. Antes de uma dessas viagens, perguntou às suas duas filhas o que elas desejavam da cidade. A mais velha fez seu pedido costumeiro de tecidos, material de costura, as coisas que normalmente as meninas apreciam; a menor, pediu-lhe uma imagem de Nossa Senhora de Altagrácia. O pai concordou, se bem que não conhecesse tal santa. Na cidade ele constatou que ninguém jamais ouvira falar dessa Nossa Senhora. e voltou, desapontado por não poder satisfazer o desejo da filha. No caminho de volta, na parada de Los Dos Rios, conversando com um amigo, contou a ele esse episódio. Um velhinho ao lado ouvia a conversa e aparteou: ´´Como não conhecem Altagrácia? Eu a trago comigo“.E tirando do bolso pinceis e um pergaminho, desenhou a imagem da Virgem: Maria adorando um recém-nascido, tendo atrás de si um São José, com uma vela acesa nas mãos. O velhinho deu a pintura ao pai, e nunca mais foi visto. No seu regresso à pequenina cidade de Higuey, o fazendeiro em seu quintal, à sombra de uma laranjeira que até hoje está lá, deu à filha o presente que ela lhe pedira, o retrato de Nossa Senhora de Altagrácia. Nesse local foi construída a primeira capela à Nossa Senhora de Altagrácia, e mais tarde, o Santuário de Higuey, dedicado à padroeira da república Dominicana. Sua festa é celebrada no dia 21 de Janeiro.

 

 

TRINIDAD – Nossa Senhora de Sipária

 

A milagrosa Nossa Senhora de Sipária, uma pequena aldeia na ilha de Trinidad, é a Virgem que tem o título de Nossa Senhora Divina Pastora.Conta a tradição que essa imagem foi trazida à Trinidad pelos espanhóis na viagem de Cristóvão Colombo, em 31 de julho de 1498. Os índios a encontraram na mata, e no local construíram uma pequenina capela.Mais tarde houve tentativas de levá-la para Oropenche, mas a santa manifestava o desejo de continuar ali. Então, ali mesmo onde foi encontrada construiu-se seu santuário.A festa de Nossa Senhora de Sipária é celebrada no segundo domingo depois da Páscoa, quando se lê o evangelho do Bom Pastor.Acorrem ao seu santuário, peregrinos de todas as Antilhas, do Brasil e da Venezuela, que assistem muitos prodígios, por isso sua devoção cresce, e ela é conhecida como a Lourdes da ilha de Trinidad.

 

 

URUGUAI – Nossa Senhora dos Trinta e Três
Nossa Senhora dos Trinta e Três, é no Uruguai a Imaculada Conceição, cuja devoção foi iniciada no ano da fundação de Montevidéu, 1726, quando se construiu a primeira igreja a ela dedicada.A estatueta famosa inspirada na pintura da Ascenção de Murilo, foi esculpida por um índio e colocada em uma ermida na Serra do Pintado, próxima de uma aldeia jesuíta. Mais tarde com a saída dos jesuítas, o pequeno centro habitado recebeu o nome de Vila de Luján del Pintado, e mais tarde foi transferida para Florida. Em maio de 1823, antes da batalha decisiva no Uruguai, 33 soldados vindos do Brasil, sob o comando do general Juan Lavalleja, na cidade de Florida, renovaram o juramento de ´´Liberdade ou Morte“, desfilando diante do altar de Nossa Senhora da Imaculada Conceição.A pequena imagem trás hoje uma lápide com a inscrição: ´´ Diante desta imagem de Nossa Senhora de Luján del Pintado, os trinta e três inclinaram sua bandeira tricolor; a ela também invocaram os Convencionais da Independência“Em 21 de novembro de 1962, a Virgem dos Trinta e Três, foi proclamada pela Santa Sé, padroeira do Uruguai. Sua festa é no dia 8 de dezembro na hoje Basílica Menor de Florida.

 

 

VENEZUELA – Nossa Senhora de Coromoto

 

A devoção à Nossa Senhora na América Latina, começou na Venezuela com a chegada de uma imagem de Nossa Senhora trazida por João Mateus e Alonso de Ojeda, membros da esquadra de Cristóvão Colombo. Essa tradição de devoção confere à Venezuela o titulo de nação mais mariana da América do Sul e uma das mais marianas do mundo. Há mais de 40 santuários dedicados à Nossa Senhora na Venezuela.O nome de Nossa Senhora de Coromoto surgiu da história da visão e conversão do cacique Coromoto. No ano de 1652, às margens do rio Guanare, cacique Coromoto se dirigia para a sua lavoura, quando de repente, vê sobre as águas do rio, uma linda Senhora com um menino nos braços vindo em sua direção. Ela lhe fala em sua língua nativa para que vá até onde moram os brancos e receba água sobre a cabeça, e assim poderá ir para o céu. O cacique recebe o batismo e convence toda a sua tribo a fazer o mesmo. Ele participa de encontros de catequese, e se dedica ao estudo da religião. Porém, com o tempo ele vai deixando e acaba abandonando tudo. A Virgem lhe aparece novamente e insiste para que volte a estudar. O índio irritado, atira-lhe uma flecha, avança contra a aparição e ataca a Virgem com intenção de empurrá-la. Quando ia tocá-la s Virgem sorri e desaparece, deixando nas mãos dele uma pedra ovalada, na qual estava gravada a imagem da Mãe de Deus em um trono, com seu filho ao colo. Essa relíquia está na Basílica de Guanare.O índio Coromoto, antes de morrer picado por cobra, pediu a todos de sua tribo que se batizassem na fé católica.O santuário de Nossa Senhora de Coromoto na Basílica de Guanare atrai muitos peregrinos, a sua festa é celebrada no dia 8 de setembro.
Fonte: marcioprofeta

Encontrando respostas para perguntas difíceis

 

Se estamos sinceramente buscando a verdade, precisamos dar o melhor de nós para encontrá-la. Buscá-la em fontes seguras é imprescindível.

 

 

  • Quase diariamente temos importantes questões da vida para resolver, como as relacionadas à profissão, aos estudos, ao namoro, ao casamento, à criação dos filhos, às finanças pessoais, à fé. Em busca de soluções a essas questões, acabamos ficando física, emocional e mentalmente desgastados. “O que fazer?” “Será que estou fazendo o certo?” são preocupações que nos consomem.

 

Há um meio de saber se estamos no caminho certo? Sim, há! Não fomos abandonados nesta Terra a nossa própria mercê. Temos um Pai literal que nos conhece, nos ama e quer o melhor para nós. Ele está a par de tudo o que acontece conosco, tem acesso a todas as informações que precisamos e conhece os intentos do coração de cada um de nós. Por conhecer todas as coisas, passadas, presentes e futuras, Ele é o único capaz de mostrar-nos o melhor caminho.

 

Para estarmos capacitados para receber as respostas que tanto ansiamos, é imprescindível fazermos o seguinte:

 

Orar mais e com fé

 

Este artigo dá o passo a passo de uma oração eficiente.

 

Ler as escrituras sagradas com uma pergunta no coração

 

Muitas vezes, o Senhor usa as escrituras para responder a nossas orações. Mas elas não devem ser tratadas como essas revistinhas de cosméticos, que só abrimos na hora de fazer pedidos. Precisamos tornar a leitura das escrituras um hábito.

 

Ter uma fé ativa

 

Exercemos fé ativa no Senhor quando confiamos no Seu poder de nos ajudar e agimos segundo aquilo que acreditamos. Se creio, logo ajo.

 

Por exemplo, se tenho fé que logo estarei trabalhando, preciso empregar todos os meus esforços em busca de um trabalho. “A fé sem obras é morta.” (Tiago 2:26)

 

Não deixar que a dúvida destrua nossa fé

 

Se cremos que Deus tem poder para responder a nossas orações e nos ajudar, então temos que orar confiando que isso vai acontecer. Não podemos permitir que a dúvida se instale em nosso coração. A dúvida é o oposto da fé.

 

Cultivar um coração humilde

 

Essa questão é importantíssima. Precisamos nos sujeitar à vontade de Deus, pois nem tudo o que desejamos é para o nosso bem ou é para acontecer naquele momento.

 

O Senhor sabe o que é melhor para nós e qual é o melhor momento para que as coisas aconteçam. Então, seremos humildes se, depois de pedirmos o que desejamos, finalizarmos com “Que seja feita sempre a Tua vontade!”.

 

Se, em vez disso, ficarmos insistentemente orando para que algo aconteça, sem desejar que a vontade de Deus esteja acima da nossa, estaremos tentando aconselhar o Senhor em vez de desejar receber Seus conselhos.

 

Ter um coração honesto

 

Marcos A. Aidukaitis disse: “Precisamos orar com fé e com um coração honesto. Mas isso não é tudo: precisamos também acreditar que receberemos a revelação. Precisamos confiar no Senhor e ter esperança em Suas promessas.”

 

Uma moça estava noiva de um rapaz muito atraente, com uma situação financeira muito boa, mas que não era fiel à sua fé. Como ela era muito firme em sua fé, queria um homem que estivesse espiritualmente à sua altura.

 

Ela aconselhou-se com o Senhor e sentiu que deveria romper com o rapaz. E o fez. Alguns anos depois, ela se casou com um bom homem, com quem formou uma linda família, todos fiéis ao Senhor. E o ex-noivo? Continua até hoje patinando espiritualmente.

 

Isso é ser honesto para com Deus. Se nos dispomos a orar em busca de uma resposta, precisamos estar dispostos também a agir conforme a orientação recebida.

 

Experimentar “a palavra” por nós mesmos, avaliando seus frutos

 

O Salvador disse acerca do que ensinava: “A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina conhecerá se ela é de Deus, ou se eu falo de mim mesmo.” (João 7:16-17) Em outras palavras, Ele desafiou as pessoas a colocarem em prática aquilo que Ele estava ensinando. Pelos resultados de aplicar em suas vidas, elas saberiam que realmente se tratava de uma doutrina vinda de Deus e não de um simples carpinteiro.

 

Esse conselho é fundamental em questões sobre fé. Por exemplo, se estamos indecisos quanto a seguir ou não determinados princípios, porque não temos certeza se vêm de Deus, devemos colocá-los em prática. É a melhor maneira de saber se são verdadeiros. Colheremos frutos daquilo que plantamos. Toda boa árvore produz bons frutos. Assim, pelos frutos saberemos se a árvore é boa ou não.

 

Aprender a identificar outras fontes de revelação

 

Além das escrituras sagradas, o Senhor normalmente se comunica conosco através dos sentimentos, de pensamentos inspirados e de sonhos. Em algumas circunstâncias especiais, Ele pode inspirar outras pessoas a nos dizer aquilo que precisamos ouvir. Mas, geralmente, a comunicação é direta, entre nós e Ele.

 

A água pura é obtida direto da fonte

 

Ninguém vai receber as melhores informações sobre uma empresa visitando suas concorrentes. Nem vai aprender sobre uma religião, consultando seus dissidentes ou pessoas que pertencem a outras religiões. Precisamos ignorar as fontes duvidosas!

 

Da mesma maneira, é improdutivo navegar pelos lixos encontrados no mundo virtual. Assim como há muitos sites informativos e que elevam, há tantos outros, talvez até mais, sites, blogs, comunidades e grupos que têm missões bem perversas: atacar crenças e valores alheios, plantar dúvidas, denegrir o que é bom.

 

Você encontrará milhares de sites criados para atacar a fé, o casamento, a família, a pureza sexual ou qualquer princípio bom e reto. Eles fazem não só a iniquidade parecer algo aceitável e bom, como a retidão parecer cafonice, retrocesso e preconceito.

 

Assim com há um Deus no céu, há um inimigo de toda a retidão na terra, que usa todas as ferramentas possíveis para promover dúvidas e medo, para destruir a fé e a esperança.

 

Podemos encontrar as respostas que precisamos para as questões difíceis da vida quando vamos direto à fonte. A melhor fonte sempre será o Senhor. “E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus (…). Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando.” (Tiago1:5-6)

 

Precisamos aproveitar o privilégio que temos de receber orientação divina. Confiar na nossa própria sabedoria ou em “achismos” alheios pode acabar atrapalhando o nosso progresso mortal. E o que fazemos na mortalidade trará também consequências eternas. “Decisões determinam o destino”. Erika Strassburger Borba (site familia.com.br)

Nossa Senhora de Guadalupe

Significados do Manto Nossa Senhora de Guadalupe

A imagem da Morenita, como é chamada Nossa Senhora pelos mexicanos, assombrosa e inexplicavelmente se conserva em excelente estado, numa tela grosseira, como de estopa, e tão alta rala que, através dela, pode-se enxergar o povo e a nave da igreja.

Nisto podemos ver a mão de Deus, pois tal imagem não foi pintada por mãos humanas, e, ainda hoje, continua exposta no santuário construído no monte Tepeyac, conquistando corações mexicanos e de inúmeras nacionalidades que chegam com seus pedidos e agradecimentos.

Vejamos, portanto, o seu significado: partindo dos seus rasgos, passando pela simbologia indígena e chegando aos fenômenos que podem ser comprovados cientificamente, a Virgem de Guadalupe é sem dúvida uma aparição “dita sobrenatural”.

Podemos dizer que a imagem do sagrado manto é um cacho de símbolos, que reflete a identidade espiritual o cristão latino-americano; para compreender melhor esta explicação, sugerimos ter em mãos uma imagem de Nossa Senhora de Guadalupe.

O seu rosto moreno: representa a cor mestiça do povo nascente, tanto em relação à sua pele, quanto à cultura.

A túnica vermelho-palida: antes, a cor do deus sol asteca, do sangue e da vida, e agora, a cor do Sangue do verdadeiro Redentor Jesus Cristo.

O manto verde-azulado: antes, a cor dos imperadores astecas, e agora, a cor da imperatriz do mundo; cor que sintetiza o deus dos índios o deus-dois, masculino e feminino, e agora, cor da Mãe do Deus-homem.

Sol envolvendo a Virgem: simboliza a divindade do sol, eclipsada pela mãe de Deus e a seu serviço.

Lua sob os pés e estrelas no manto: é a reconciliação de toda a natureza: do sol, da lua e das estrelas, depois de um longo conflito cósmico, como contam os mitos astecas.

Anjo sob a Virgem: é o anunciador de um novo sol, o Sol da Justiça, Cristo, inaugurando assim uma nova era: a da fé e da graça.

As duas cruzes: a cristã, no pescoço, e a cruz solar indígena, sobre o ventre, simbolizando a harmonia da religião asteca com a fé cristã.

Outro dado interessante a destacar é que vários cientistas, ao fotografarem os olhos de Nossa Senhora, encontraram misteriosamente num deles a cena onde o índio João Diego se apresenta diante do bispo, caindo as rosas do manto e aparecendo a imagem impressa nela.

Podemos ver como a totalidade da preciosa imagem, sua própria pessoa, é diálogo e mistura de etnias e humanidades diferentes. Ela reza de mãos juntas, do modo dos espanhóis, mas também quase iniciando uma dança, que é para os índios a máxima forma de reverenciar a Deus, seu rosto é mistura de raças, e, revelando-se mãe de todos, assume a cor de seus filhos mais necessitados.

De olhos negros e pele morena, ao mesmo tempo em que consola, nos desafia a sermos colaboradores na tarefa evangelizadora. Rosto amável que, com seu misericordioso olhar, delicado e profundo, continua nos provocando a trabalhar pela construção de um mundo novo, repleto de paz, respeito e amor.

DETALHES DOS OLHOS:

O tamanho tão pequeno das córneas na imagem, cerca de 7mm a 8mm, descartam a possibilidade das figuras dos reflexos terem sido pintadas sobre os olhos. Devemos também ter em conta que o tecido, feito de fibras de Maguey, sobre qual a imagem foi estampada, é extremamente rudimentar e apresenta poros e falhas na costura, por vezes, maiores que os das córneas da imagem. Se com a tecnologia de que dispomos hoje é impossível criar ou reproduzir uma figura com tanta riqueza de detalhes, imagine para um artista no ano de 1531.

Os estudos dos olhos da Virgem de Guadalupe resultaram na descoberta de 13 pequenas imagens. Mas a surpresa não para por aí.

Primeiramente ampliou-se 1 mm da imagem 2.500 vezes. Um destes pontinhos microscópicos corresponde à pupila do Bispo Zumárraga (Que está por inteiro na pupila da Virgem) e foram ampliadas outras 1.000 vezes. Nela encontra-se novamente a imagem de Juan Diego mostrando o poncho com a imagem da Virgem de Guadalupe.

A imagem de (4)Juan Diego aparece duas vezes. Uma nos olhos da Virgem e outra nos olhos do Bispo que está nos olhos da Virgem.

 

Existe uma hipótese que diz que estas 13 figuras querem trazer uma mensagem da Virgem de Guadalupe para humanidade: que perante Deus, os homens e mulheres de todas as raças são iguais. Na opinião do doutor Aste, as figuras de 7 a 13 (grupo familiar indígena) são as mais importantes, pois estão no centro dos olhos, o que significa que a família é o centro do olhar compassivo de Maria. Poderia ser um convite da Virgem de Guadalupe a nos aproximarmos de Deus em família, especialmente nestes tempos em que está sendo tão desprezada e atacada.

 

O Dr. Aste, afirma que quando São Juan Diego foi recebido pelo (2) Bispo Zumárraga, a Virgem Maria estava presente; invisível, mas observando toda cena. Isto explica porque estão refletidas em seus olhos as imagens presentes. Quando São Juan Diego abriu o poncho e caíram as rosas, a imagem estampou-se, e em seus olhos levava o reflexo de todas as pessoas que testemunharam o milagre. Desta maneira, Deus quis nos deixar uma “fotografia” desta impressão milagrosa.

As Estrelas do Manto

12 de dezembro – Solstício de inverno

Na terça-feira, 12 de dezembro de 1531 de nosso calendário (Calendário Juliano), ou 22 de dezembro do Calendário Astronômico dos indígenas, aconteceu à aparição da Virgem de Guadalupe no poncho de São Juan Diego. Na manhã deste mesmo dia, ocorreu o solstício de inverno que para as culturas pré-hispânicas significativa o sol moribundo que recobra vigor e retorna à vida.

12 de dezembro de 1531, pela manhã do solstício de inverno

Para os indígenas, o solstício de inverno era o dia mais importante de seu calendário religioso. O sol vencia as trevas e ressurgia vitorioso. Não é coincidência que a Virgem tenha apresentado seu Filho justamente neste dia, ficando claro para os índios que aquele que ela trazia em seu seio era o verdadeiro Deus.

Fonte: Revista Milicia da Imaculada – Maio/2011

Visite o site da Milicia da Imaculada:  http://www.miliciadaimaculada.org.br

“A Paz Interior”

Olá a todos!
Eis a ideia para vocês refletirem ao longo da semana: “a paz interior”.

Não há um bem espiritual mais apreciável do que a paz interior. Junto com a felicidade e o amor, ela é o maior bem do espírito.

Mas, apesar de essa paz ser um bem tão apreciável, quantas pessoas carecem dela em seu coração? Quantas pessoas vivem tensas, aflitas, inquietas, ansiosas, angustiadas, inseguras, com medo, com raiva, com ódio! Nunca, ou quase nunca, conseguem ficar completamente relaxadas.

Gostaria de propor a vocês que aprendam a abandonar-se no colo de Deus ou no colo de Maria. Vejam a figura abaixo. Vejam como o Menino Jesus está no colo de Maria! É assim que devemos estar no colo de Maria ou no colo de Jesus!

Batizei esta imagem, conhecida como “Madonnina”, do pintor italiano Roberto Ferruzzi, de “Rainha da Paz”. Para ajudá-los a conseguir esse abandono, elaborei a oração abaixo, que auxiliará muita gente a encontrar a paz no dia a dia.


Querida Rainha da Paz! Eu vos peço que eu esteja completamente em paz como estava o Menino Jesus em vossos braços. Ele que, apesar de ser Menino, de ser o dono do mundo e de saber de todas as coisas terríveis que ocorriam a cada dia na terra, descansava em paz em vosso colo. Fazei com que também eu encontre essa paz a cada dia.


Que no vosso colo ou no colo de Jesus eu encontre a paz no meu coração. Ajudai-me a estar completamente relaxado como estava Jesus no vosso regaço. Que eu saiba que através da vossa proteção e da proteção de Deus não há nada a temer.


Que eu saiba confiar mais e deixar todas as minhas preocupações em vossas mãos e nas mãos de Jesus. As crianças ficam relaxadas no colo dos seus pais porque confiam. Entendo que aqui está o ponto central da paz: a confiança!


Dessa forma, mãezinha, ajudai-me a crescer a cada dia na confiança! E que, crescendo na confiança, invada-me uma paz que penetre até o fundo do meu coração. Uma paz celestial que esteja acima dos vaivéns desta vida. Assim seja, assim seja!


Rainha da Paz, rogai por nós!

Uma santa semana a todos!

Pe. Paulo ( Retirado do site http://www.fecomvirtudes.com.br)